"Nós colhemos o que plantamos, se queremos um mundo melhor, precisamos ser pessoas melhores"

30 junho 2011

A Sophia é uma safada!!!

A Sophia ficou resfriada um tempo atrás e sempre que a pequena tossia eu corria para ver, agora ela tá com uma mania....
Quando quer atenção tosse......
Eu posso?????

29 junho 2011


Oi mamães! Quem não gosta daquele perfume gostoso que os bebês têm? Aquele cheirinho de infância e inocência...
Cheirinho de Bebê é a solução para quem quer ter sempre esse cheiro, independente da idade. O Cheirinho de Bebê surgiu em 1996 com essa novidade no mercado de produtos infantis e logo conquistou públicos de todas as idades. Desde o primeiro momento, a inconfundível fragrância encantou a todos com a sensação de estarem usando e sentindo um verdadeiro "cheirinho de bebê".

Recebi um kit Cheirinho de Bebê e adorei. Não é bom só pro seu bebê, é bom pra você também. Uso a colônia após o banho da tarde, é ótimo!

Quer ganhar um kit contendo uma Colônia rosa + sabonete, clique aqui e participe.


Cansada!

Desculpem a minha ausência esses dias.....
Vamos começar pela ida da Sophia na pediatra
Ela está com 60 cm e 5.550.... esse mês ela engordou super pouco, resultado: Dê NAN a noite!!!!
começou meu tormento:
- Como dar Nan para um bebê que não quer saber de mamadeira, chupetas, copos ou coisa assim??????
Na Segunda eu tentei umas 10 mamadeiras diferentes, uma mais cara de outra, cada uma com um bico diferente!
E nada
Na terça chorei....
Quarta tentei trabalhar sem sucesso

27 junho 2011

Dia 26 dia de comemorações múltiplas!

Ontem foi um dia de super comemorações:
- Minha avó querida fez 75 anos!!!! Parabéns minha neguinha, que você viva pelo menos mais 75 anos!!!!!!!!!
- Minha filha querida fez 5 meses!!!!!!!!!!! Te amo filha, pra toda a vida!
-  A BEATRIZ, FILHA DA PAULA,  minha amiga, minha vizinha, chegou á este mundo louco depois de mais de 24 horas em trabalho de parto a Bia chegou, para brincar com a Sophia!!!!!!
Ontem foi um dia super feliz.......

22 junho 2011

Mandem Energia Positiva

Hoje eu vim aqui falar de uma amiga muito querida que está precisando de ajuda (não é financeira), é simplesmente um envio de energia positiva.
Roberta minha amiga estou aqui enviando todas as minhas energias para você!
Espero que você esteja bem logo.
A Roberta para quem não sabe é mãe de uma anjo chamado Olívia, ela tem um blog, ela é uma fofa.
Eu conheci a Ro de forma virtual, mas parece que nos conhecemos a tanto tempo e nossa ligação espiritual é tão grande que sempre que estou pensando nela e resolvo ligar é em um momento ou de felicidade ou apreensão.
Semana passada liguei para ela estava super bem com uma voz ótima, depois que eu vi que ela tinha acabado de casar.
Ontem liguei para a Ro, pois a Sophia estava dando uma gargalhada tão gostosa que eu lembrei da Ro, então antes de saber que ela estava internada eu falei assim: Ro escuta a Sophia...... e ela com uma voz apreensiva falou: Fala para ela conversar mais um pouquinho com a Tia Ro.
E conversando com ela descobri que ela estava no hospital com dores abdominais, e uma enfermeira disse que pode ser uma gravidez ectópica.
Desde ontem eu estou enviando todas as minhas energias para a Ro, só sobrou um pouquinho de energia para fazer o leitinho da Sophia.
A Ro é uma pessoa tão especial que mesmo com tudo o que passou é uma pessoa alegre, cheia de vida, com vontade de ser feliz.
Conheci a Ro pessoalmente e posso falar que tudo o que ela passa pelo blog é muito melhor pessoalmente.

Ro, amo você muito e você é muito especial, espero de verdade que tudo se encaixe e que essa dor que você está sentindo agora seja só uma noticia boa prestes á chegar.

Minha foto

Então gente, mandem energias positivas para a Roberta.


***

A Dani minha amiga que eu amo muito também vai ficar com muito ciúmes.....kkkkkk

***
Eu preciso falar uma coisa: Eu leio o blog de todo mundo, mas não tá dando tempo de comentar, pois estou trabalhando, cuidando da Sophia e fazendo mil coisas, então se eu comentar não dá tempo de ler todos os blogs......mas eu sei da evolução de cada uma de vocês e como os bebês estão lindos.....

21 junho 2011

PAPAI, EU NÃO SEI FICAR LONGE DE VOCÊ!!!!!




O André é um pai super presente, e a Sophia não quer nem saber de ficar longe dele.
E assim como o André meu pai foi e é um super pai.
Ufa ainda bem que não sou filha de uma produção independente!


Jornal O GLOBO
“Jornal da Família”
Edição de 29/08/1999
X
A nova produção independente
Repórter Márcia Cezimbra

X
Psicanalistas discutem última geração de filhos criados distantes do pai
 Nos anos 70, a produção independente era quase um ato de rebeldia de mães que queriam ter filhos sem pai em protesto contra a sociedade machista. A atriz Scarlet Moon, por exemplo, tinha decidido criar sozinha os seus três filhos - Gabriela, hoje com 28 anos; Cristóvão, de 23; e Teodora, de 22. Mas, à 20 anos, quando ela se casou com o músico Lulu Santos, as três "produções independentes" ganharam um pai, segundo Scarlet, maravilhoso em múltiplos sentidos.
- Eu nunca poderia imaginar, mas os três são filhos de fato do Lulu. A vida ensinou-me que a mulher tem uma relação com o filho desde quando ele esta dentro de sua barriga, mas com o homem é diferente. É o amor do homem pela mulher que faz com que ele ame os filhos. Eu tive esta sorte, este privilégio, de ter tido um homem que me amou e que é um pai deslumbrante em seus toques, na educação, na generosidade. Eles se adoram - diz Scarlet.
Hoje, a produção independente não é mais um ato rebelde, mas uma nova realidade social. São filhos de mães adolescentes que ainda moram com os pais, de mulheres que querem apenas um filho e não um casamento, de uma multidão de descasadas que têm a posse legal da guarda das crianças, e até de casais homossexuais. Quem são estas crianças criadas á distância da figura paterna? As psicanalistas americanas Leif Terdal e Patrícia Kennedy, autoras de "Produção independente - Criando meninos sem a presença do pai" (Editora Rosa dos Tempos) dizem que, se estas crianças não tiverem um pai substituto, como os filhos de Scarlet e Lulu, terão vazios afetivos ao longo de toda a vida.
Depois de uma longa pesquisa com filhos de pais divorciados nos Estados Unidos, as autoras constataram que metade das crianças nascidas após 1975 vive longe do pai e, nestes casos, os meninos apresentaram mais transtornos do que as meninas: baixo rendimento escolar, agressividade com a família e com os colegas, uso de drogas, depressão e angústia.
Já a psicanalista brasileira Lulli Milman, coordenadora da clínica social da UERJ e autora de "Cresceram!!! - Um guia para pais de adolescentes" (Editora Nova Fronteira), diz que mais importante do que a presença física do pai é o que ele significa para a mãe:
- A mulher que respeita o homem, independentemente de ele estar ou não ao seu lado, esta criando uma pessoa melhor. A criança nasce de um homem e de uma mulher. Se a mulher desvaloriza o homem, mesmo casada com ele, esta criança sofrerá de miséria psíquica, porque parte de sua identidade foi aniquilada pela mãe, não importa onde esteja o pai. 
Como ajudar as crianças?
RESPEITO: O respeito pela figura paterna é fundamental para a integridade da criança. Quando a mãe denigre o pai por qualquer motivo, a criança cresce com uma identidade mutilada.
TERAPIA: A mãe que impede os filhos de verem o pai, seja por ciúme, ressentimento ou vingança, precisa de terapia. Estes filhos estão órfãos de pai e de mãe, que, em vez de atormentá-los com seus rancores, deveria protegê-los e criar-lhes condições afetivas favoráveis.
SUBSTITUTO: O pai biológico pode estar ausente por diferentes motivos - morte, viagens, doença ou perda total de contato - mas a criança pode encontrar figuras paternas substitutas no avô, no tio, no irmão mais velho, no professor ou no padrasto.
ADOÇÃO: As psicanalistas americanas Leif Terdal e Patrícia Kennedy dizem que é melhor para a criança ser adotada por uma família receptiva do que viver com a mãe nos casos em que esta, depois de ter recebido substancial ajuda e intervenção do pai, não tem instrução nem aptidões de trabalho para criar os filhos em ambiente adequado. Elas sugerem que crianças nascidas de pais com péssimo relacionamento também vivem melhor em lares adotivos.

A NOVA PRODUÇÃO INDEPENDENTEOs danos provocados pela ausência do pai
 Avô, irmão mais velho, padrasto, tio, padrinho e namorado da mãe ajudam a substituir a figura paterna .
O psicanalista Sérgio Nick, autor do ensaio "Dano moral e a falta do pai - Algumas considerações sobre a produção independente", fez uma pesquisa sobre filhos de produções independentes e abandonados pelo pai e constatou que os riscos e os danos são diferentes em cada caso:
- O maior risco para os filhos de produção independente, comprovado estatisticamente, é o perigo da excessiva fusão com a mãe. O que impera nesta relação é a convicção de que mãe e filho bastam-se um para o outro. A mãe acha que poderá suprir todas as necessidades do filho e dela mesma, mas vai gerar distúrbios emocionais na criança.  

Quando a mãe exerce também a função de pai
 Já os filhos abandonados total ou parcialmente pelo pai têm dificuldade de lidar com sentimentos gerados por este abandono, o que vai trazer conseqüências imprevisíveis:
 - Estas crianças apresentam um núcleo depressivo que pode levá-las a sentimentos de baixa auto-estima, de não serem merecedoras de amor. E leva também a sentimentos de ódio e de inveja de difícil manejo. A mãe mais madura emocionalmente ajuda os filhos a superar a ausência do pai e evita que as fantasias de abandono predominem.
Nas duas situações, Sérgio Nick acha possível que a mãe exerça a função de mãe e pai, mas é preciso que ela deixe claro para o seu filho que ela não pode ser tudo para ele e que não negue a identidade, a presença e a participação do pai na vida da criança.
- A mãe pode até exercer as funções materna e paterna, mas isto não quer dizer que a figura masculina não seja imprescindível na vida da criança. Caso não seja possível o pai estar presente na vida da criança, a mãe pode tentar buscar no tio, no avô, no namorado ou no amante esta aproximação, que é essencial para o desenvolvimento psíquico-emocional-afetivo da criança. A guarda compartilhada de filhos de divorciados, pela qual eu tanto luto, é uma arma contra esse drama na vida de uma criança: a falta do pai. A presença de avós, padrinhos, madrinhas, tios, tias é crucial para compensar esta falta também. A criança precisa saber e sentir que é aceita, querida, amada, que de alguma forma tem raízes, familiar e afetiva - disse Nick.
Sérgio Nick lembra que o exercício da paternidade é garantido por lei. O Estatuto da Criança e do Adolescente estabelece o direito á paternidade e a lei sobre a investigação da paternidade da ás mães o direito de exigir que os pais assumam a paternidade de seus filhos justamente por entender que é crucial para a criança conhecer sua filiação:
- Saber quem é o pai, conhecê-lo e conviver com ele é parte integrante e fundamental da construção de sua identidade pessoal.

Crianças com problemas sentem a falta do pai  
Já uma pesquisa feita pela psicóloga Vera Resende com crianças e adolescentes do Programa de Atenção á Infância e á Adolescência da Universidade Estadual Paulista, de Bauru, constata que a maioria das crianças atendidas com problemas de agressividade, indisciplina, baixo rendimento escolar e apatia se ressente da ausência do pai. 
- Constatamos que 80% das crianças não tinham problemas, mas apenas dificuldades na família. Orientamos os pais a participarem mais da vida dos filhos e ás mães que compreendam a importância da figura paterna - disse.

Sociedade contemporânea desvaloriza a função do pai  
Psicanalista diz como a figura paterna deve ser sempre preservada pela mãe  
Especialista em crianças, a psicanalista Geny Talberg, da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro, diz que a ausência do pai na vida de uma criança talvez não possa jamais ser substituída, porque o essencial no desenvolvimento de uma criança é que tenha alguém mais seguro do que ela:  
- Este é um tema muito complexo. Muitas variantes podem influenciar o desenvolvimento de uma criança que vive nesta situação. A mãe nunca poderá suprir totalmente a ausência do pai, mas pode compensá-la criando dentro de casa uma convivência do filho com avós, tios, namorados ou padrastos, em ambiente tranqüilo que possa transmitir segurança emocional á criança.
Para Geny Talberg, o mais adequado é que a mãe possa ser capaz de enfrentar junto com a criança as dificuldades que poderão surgir a partir da ausência do pai.
- O fundamental, independentemente da situação em que foi gerada a criança, seja por uma mãe solteira, por ter optado por ter o filho sozinha, ou ainda por motivo de separação, é que a mãe não deve agredir a figura paterna - explica a psicanalista.
Geny Talberg diz que atualmente a função da figura paterna nem sempre tem sido valorizada. A psicanalista Lulli Milman concorda e acrescenta que, para a mulher de hoje, o homem e o casamento não são mais essenciais para que ela exerça a maternidade.
- Ter um filho hoje não significa mais ter necessariamente um marido e um casamento. São dois projetos distintos - diz Lulli Milman.
Na opinião de Geny Talberg, no entanto, o pai é fundamental para ajudar a estruturar um ambiente familiar onde haja lugar para sofrimento, tristeza, decepções, dúvidas, medos, anseios, amor e companheirismo:
- Uma relação entre mãe e filho que opta pela exclusividade entre ambos traz, entre as mais sérias conseqüências, a tendência da criança de se sentir com a responsabilidade de compensar a carência afetiva da mãe. E os filhos não podem tornar-se companheiros dos pais. Eventualmente, assumindo este papel, haverá danos para o seu desenvolvimento emocional.


Pai querido eu te amo!!!!!

16 junho 2011

Liberdade e respeito para ser mãe do meu jeito: Blogagem coletiva



É muito mais difícil ser mãe hoje do que era há 30 anos atrás.
Há 30 anos os conselhos, dicas, forma correta (ou qualquer que seja o nome que se dá para meter o pitaco onde não é chamada) que as mães ouviam eram só das sogras, tias, irmãs, mães, hoje ouvimos "pitacos" de todo mundo inclusive do Google.
Eu mãe moderna, da era digital, achava na minha inocência que ser mãe era: amar uma pessoa, ficar grávida, parir (da forma que fosse), amamentar(com mamadeira, peito, ou com qualquer outra forma conhecida por mim ou não) e por fim ter um amor indescritível.
Estava completamente errada, ser mãe para alguns é seguir formulas, estudos e tudo mais de como ter uma gravidez tranquila e exercer a maternidade de forma fácil!  Eu decidi então escrever um Livro: Tenha a melhor gravidez do mundo e seja a melhor mãe em dois passos - passo 1 - tome muita água - passo 2 - siga seus instintos!
Até o google quer ser uma mãe melhor do que eu, até ele quer me dizer que tenho que amamentar minha pequena de 3 em 3 horas, que trazer ela para o escritório com 20 dias é loucura, que expor ela aos barulhos, eventos é superestimulação. Que o melhor parto é o normal, que a amamentação TEM que ser exclusiva até os 6 meses.
Bem eu tive minha filha por um parto cesárea (que aliás foi ótimo), a Sophia toma suco e come papinha e tem só 4 meses e meio, e nem por isso ela está mal, muito pelo contrário só fiz com ela evitasse de roubar os tomates das minhas refeições.
Eu leio os conselhos que quero, os site que acho que são interessantes e não gosto de "pitacos" na criação da minha filha.
Eu nos primeiros meses desenvolvi uma nova habilidade e acho que tem dado certo "ouvidos seletivos".
Eu ouvia coisas do tipo "não deixe uma mulher que menstrua sentar no mesmo local que você, pois se fizer seu leite seca", "criança tem que chorar, deixa chorar, do contrário vai ficar mimado", " não pode lavar o cabelo na quarentena", blá, blá, blá....
Tem sempre uma tia, vizinha, parente, amiga, ou incherida que resolver dizer que é melhor mãe que você e nessa era digital ainda tem um google.  

Esses dias no auge do meu desespero de mãe, sai com a Sophia e fui ao mercado, ela chorosa, chata, irritada, eu cansada com olheiras só o pó, com a Sophia no Sling, depois de algum tempo a pequena dormiu.  E na fila do caixa uma senhora muito sem educação me pergunta: - Você não tem dó dessa criança? - Porque? - Você está forçando a coluna dela! - Não estou! - Moça tira ela dai! - eu sem paciência - Não! - Moça eu sou comissária de menor e isso é um absurdo! - Eu não vou discutir com a senhora, mas a senhora tem filhos? - sim tenho, todos criados - E tem gato, cachorro? - Sim tenho - Eu na minha falta de educação completa: - Então cuida deles que da minha filha cuido eu!!!!!!!!!!!!!
Eu busco cuidar da Sophia do meu jeito sempre, e com meus super ouvidos seletivos descobri que  não dar importância para o que os outros falam é sempre a melhor coisa a se fazer, pois quando ouvi deixei minha filha estressada.
Ela é superestimulada todos os dias e não reclama, muito pelo contrário é super ativa e observadora.
Eu Sou a melhor mãe que minha filha poderia ter então por favor não me encham.
GOOGLE, eu te amo, mas da minha filha cuido eu e do meu jeito!




Esse post faz parte da Blogagem Coletiva proposta pelas mamães do blog De Mães para Mães. Quer participar? Clica aqui pra saber como.

Estudo liga posição em que mãe dorme com risco de morte de feto

Mulheres que dormem sobre o lado direito do corpo ou com a barriga para cima no fim da gravidez têm duas vezes mais chances de morte prematura do bebê do que as mães que dormem apoiadas sobre o lado esquerdo, segundo cientistas.

Uma nova pesquisa, feita na Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, afirma que as mães que dormem sobre o lado esquerdo do corpo nas últimas noites antes do parto tem 1,9 de chance em mil de terem bebês natimortos. Em mulheres que dormem em outras posições, a chance aumenta para 3,9 por mil nascimentos. 

Os resultados foram divulgados na publicação científica British Medical Journal. É o primeiro estudo de casos de bebês natimortos no mundo que analisa o efeito da forma como as mães dormem na saúde do feto. 


fonte: http://delas.ig.com.br/saudedamulher/estudo+liga+posicao+em+que+mae+dorme+com+risco+de+morte+de+feto/n1597030004684.html

15 junho 2011

Bebê de dois meses que fala!!!!!

Um bebê de dois meses deixou seus pais espantados quando, depois de tomar leite, pronunciou as primeiras palavras em uma comunidade camponesa da Nicarágua, revelou a imprensa nesta quarta-feira.
"A primeira palavra que falou foi para mim; disse mamãe", relatou Isabel Mendoza ao El Nuevo Diario.
"As palavras que disse foram mamãe, papai, 'pipe' (menino)", afirmou a mulher.
O pai, Antony Huete, contou que seu filho, que possui o mesmo nome dele, pediu-lhe uma vez "água, água".
A avó materna do menino, Rosa Álvarez, contou que no início não dava crédito a esta história, até que ouviu o bebê dizer "água".
"Pediu água ao pai", relatou.
O caso insólito ocorreu na comunidade de El Palmar, no município costeiro de Tola, departamento de Rivas, perto da fronteira com a Costa Rica.
O jornal afirmou que alguns moradores temem que isto seja um sinal de que o fim do mundo se aproxima.
"Estou um pouco confusa, porque o pastor diz que é normal, mas eu digo que é um sinal do fim dos tempos", afirmou Enriqueta Mendoza, uma das vizinhas do casal.
"É algo inacreditável, assombroso, nunca visto", expressou, por sua vez, José del Carmen Pérez, que afirmou que o bebê se comporta de modo estranho e "olha feio para as pessoas".
"A Bíblia fala que nos últimos tempos veríamos coisas que jamais acreditaríamos", disse o pastor evangélico da aldeia, Saúl Gutiérrez.

fonte: http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2011/06/15/bebe-de-dois-meses-que-fala-surpreende-camponeses-na-nicaragua.jhtm

E eu achando que a Sophia era avançada!!!!

CIUMENTA

BRU e DANI....
Fiz um selinho só para vocês

Então vamos lá
Regras para pegar o selinho
1 - ter uma amiga ciumenta
2 - dizer porque sua amiga é ciumenta
3 - dizer coisas que te irritam na sua amiga ciumenta
4 - dizer o porque você ainda é amiga dessa pessoa
5 - indicar outra amiga

1 - tenho duas amigas ciumentas......kkkkk
2 - A Dani é ciumenta por tudo e a Bru porque eu não dei o selinho anterior para ela
3 - A Dani é ciumenta, ciumenta e sempre é ciumenta, a Bru é só um pouco e ambas me irritam porque querem ser exclusivas....kkkkkk
4 - Sou amiga delas porque eu amo as duas demais e as duas são exclusivas
5 - indico a Cy da Yasmin, a Dani e a Bru

Sophia pare de brincar com a comida!!!!!

Agora a So deu para brincar com meu peito, ela sorri, ela morde, ela segura, ela aperta....
SOPHIA PARE DE BRINCAR COM A COMIDA!!!!!!!!!!!!!1

Selinho!!!!

Ganhei selinhos da Dani, minha amiga de verdade!!!




Regrinhas: Falar dez coisas sobre mim e fazer dez indicações.

Sou como Veja tenho multi usos
Adoro rir da vida, mesmo sem motivos, o lado positivo é sempre melhor!
Amo dirigir, embora com a Sophia no banco traseiro é mais difícil;
Adoro comer, só não tenho 100 kg porque a genética é boa!
Sou mega viciada em tecnologia.
Quero um nintendo wii e um play 3;
Quero deixar de ser advogada e ser só blogueira.....kkkkk
Quero perder peso dormindo e ganhar dinheiro ficando em casa .....kkkkk
quero ser uma tartaruga e viver mais de 100 anos
Quero ter netos, bisnetos e tataranetos


Edna do Pedrinho
Néinha 
Taly da Bombonzinha
Rosi do Dudu
Piu e Ti da Mariah
Sandra - Made in Brazil
Carol da Clarice
Acho que eu não repeti os blogs...kkkkk



Regrinhas: Falar do blog que mandou o selinho:
O blog da Dani é o máximo ela é uma amiga super mega ultra master blaster...kkkkk

Escrever 5 coisinhas que seu baby faz que vc acha mais fofo:
Os gritos
A risada de fechar os olhinhos
a brincadeira de esconde esconde
O esforço para levantar
Dormir mamando

Dizer por que você se acha uma mãe coruja:
Pois sou uma mãe que leva a filha para todos os locais até amamentei em audiência

Oferecer a 15 mamys:

A todas que me seguem


E vamos levar nossos pequenos para serem vacinados.....




14 junho 2011

Guia de dentição

Eu ando tirando os cabelos que me sobraram por conta dos dentes que não sabem se querem ou não sair da boca da Sophia, então fiz uma pesquisa e descobri um site bem bacana, segue matéria abaixo


Quando os dentinhos de leite de seu filho começam a aparecer e a cair; a higiene da boquinha desde cedo e outros cuidados para evitar problemas.
 Um sorriso lindo
Um belo dia, naquele sorriso tão familiar, surge uma novidade: nasceu o primeiro dentinho do bebê! O evento é logo comunicado aos avós, tios,amigos,e é mais uma pequena festa para a família. Essa festa começou a ser preparada bem antes - você sabia que os germes dos dentes já surgem nas primeiras semanas de gestação?


 
Amamentar é precisoO leite materno é o alimento ideal para o recém-nascido; e o seio da mãe, a forma perfeita para o bebê ter uma boa dentição.
Os movimentos e a força de sucção que o bebê faz ao mamar no peito fortalecem os músculos faciais.

É com essa "musculação" que seu filho, além de ganhar aquelas bochechas irresistíveis, vai desenvolver e posicionar corretamente o osso da mandíbula na face.
Todo bebê, ao nascer, tem a mandíbula bem pequena e voltada
 para trás. Para poder sugar o leite da mãe, ele terá de posicionar a língua e a boquinha de tal forma que, aos poucos, a mandíbula chegará à posição correta. É por isso que amamentar o bebê no seio durante os primeiros 6 meses de vida ajuda a garantir, mais tarde, uma boa mordedura, a mastigação e a deglutição corretas dos alimentos.
Isso não significa que a impossibilidade de amamentar no seio prejudique necessariamente a futura arcada dentária de seu filho. Mas são precisos alguns cuidados básicos para a mamadeira não atrapalhar o bom desenvolvimento da dentição da criança.


Boa de bico
Com formato e tamanho diferentes do seio materno, a mamadeira exige vários movimentos de sucção do bebê. Se repetidos por muito tempo, esses movimentos podem, de fato, comprometer diversas funções orais da criança (como a mastigação ou a fala). Os bicos anatômicos são uma forma de diminuir as diferenças de sucção e, portanto, problemas futuros.
O tamanho do furo por onde sai o leite também é crucial.
Evite cair na tentação de aumentar o furo do bico para deixar o bebê mamar mais fácil e rapidamente; fazer uma certa força ao sugar é fundamental para tonificar os músculos da face e desenvolver a mandíbula.


 
Dentinho à vista 
Em geral, o primeiro dentinho só vai nascer quando o seu bebê estiver com cerca de 6 meses, mas essa história começa bem antes - ainda no útero.
Na nona semana de gestação, já surgem os germens dos dentes; no quinto mês da gravidez, começa a se desenvolver o esmalte. Há uma crença segundo a qual a azia da grávida é sinal de que os futuros dentes estão se formando. A relação é a apenas temporal: como a partir do quinto mês aumenta a pressão do útero sobre os órgãos do aparelho digestivo, pode ocorrer azia, mas isso não tem nada a ver com os dentinhos que estão, nessa mesma época, em fase de formação.

Alimentação caprichada
Estudos indicam que é também nessa fase da gravidez que o feto começa a formar o paladar. Mais um motivo para a gestante caprichar numa alimentação equilibrada, rica e variada. Além de garantir os nutrientes necessários ao desenvolvimento geral do bebê (dentinhos incluídos), talvez já seja possível apresentar os sabores de diversos alimentos ao repertório gustativo da criança. Especulações à parte, o fundamental é garantir todos os nutrientes durante os nove meses da gestação e, no acompanhamento pré- natal, avaliar com o médico se há necessidade de alguma suplementação de vitaminas ou sais minerais.
Turminha de leite
Voltando à parte mais comemorada dessa história, aquela do aparecimento do primeiro dentinho: nem sempre isso acontece em torno do sexto mês, que é apenas uma data padrão. Variações individuais podem adiantar ou atrasar essa data, sem prejuízo ou vantagem para a criança.O importante é que, até os 3 anos, ela esteja com a primeira dentição completa:
20 pequenos dentinhos de coloração leitosa, 10 no arco dentário superior e outros 10 no arco inferior.
Assim como a data do primeiro dente, a seqüência dos outros varia, mas em geral segue uma ordem: os da frente vêm antes do que os detrás, os de baixo nascem primeiro do que seus correspondentes de cima.
Quando eles costumam aparecer
6 meses:
incisivos centrais inferiores
7 meses:
incisivos laterais inferiores
7 meses e meio:
incisivos centrais superiores
9 meses:
incisivos laterais superiores
12 meses:
primeiros molares inferiores
1 ano e 2 meses:
primeiros molares superiores
1 ano e 4 meses:
caninos inferiores
1 ano e meio:
caninos superiores
1 ano e 8 meses:
segundos molares inferiores
2 anos:
segundos molares superiores


De mãe para filho 
Do mesmo modo que a mãe transfere nutrietes ao feto e depois fatores imunológicos ao bebê na amamentação, bactérias do corpo materno também são transmitidas ao filho. É o que pode ocorrer com as bactérias causadoras da cárie. Por isso é importante não descuidar da saúde da boca durante a gestação.
Quanto mais cáries a grávida tiver, mais propenso o bebê ficará a desenvolvê-las. Os cuidados, é claro, devem continuar após o nascimento e por toda a vida - bons hábitos como os de higiene bucal, também são "transmissíveis".
Uma precaução especial deve ser tomada quando o bebê começa a comer papinhas e outros alimentos além do leite. Muita gente não se dá conta, mas o ato inocente de provar a comida do bebê na mesma colher que ele utilizará pode passar bactérias da boca do adulto para o bebê, que ainda não produziu anticorpos para combatê-las. Ou seja, a possibilidade de ele desenvolver cáries é bem maior.

 Ai que coceira!
O nascimento dos primeiros dentes é acompanhado por muita expectativa e dúvidas. Veja as mais comuns e curta esse momento com tranqüilidade.

É normal o bebê ficar irritado quando o dentinho está para nascer?
Sim, porque a pressão do dente para sair da gengiva causa coceira e desconforto.

A erupção do dente causa dor ou sangramento?
Não. Apesar da coceirinha desconfortável, o bebê não sente dor e a gengiva não sangra.

A gengiva muda de aspecto quando o dente vai nascer?
Podem surgir pontos roxos (hematomas). Isso é mais comum na região dos molares.

Por que o bebê saliva mais na época de nascerem os dentes?
O aumento da salivação pode estar relacionado à coceira, que faz o bebê mexer mais a boca, morder objetos, etc. Mas pode ser apenas sinal da maturação das glândulas salivares, que costuma ocorrer na mesma época dos primeiros dentes.

O nascimento do dente pode causar febre?
É até possível ocorrer um discreto aumento da temperatura por causa do rompimento da gengiva, mas é uma febre baixa e passageira. Se persistir, procure o pediatra.

E diarréia?

Muitas mães relatam episódios de diarréia na época do nascimento dos dentes. Como nessa fase o bebê está sempre colocando a mão e objetos na boca, pode ser contaminado pela sujeira. Além disso, a época dos primeiros dentes costuma coincidir com a introdução de novos alimentos; na transição do leite materno para as papinhas podem ocorrer diarréias eventuais, que logo passam.
Alívio imediato O melhor amigo do bebê na hora em que o dente está para nascer é um mordedor. Ele tem a forma ideal para massagear as gengivas sem machucar, aliviando a coceira. São feitos com materiais esterelizáveis e muitos deles têm dentro um gel que os mantêm geladinhos (é só deixar o mordedor por um tempo na geladeira).
Aí, é melhor ainda: o frio dá uma anestesiada nas gengivas e bom alívio. Por isso é bom oferecer bebidas geladas quando o bebê está sentindo muita coceira. Alimentos frios e mais durinhos também ajudam a massagear as gengivas.
Além disso, há pomadas e soluções com substâncias analgésicas, como a xilocaína, que diminuem o desconforto do bebê. Pergunte ao pediatra ou ao dentista se esses produtos podem ser usados no seu filho.


Aviso ao naveganteDente de leite não é para sempre, mas, se não for cuidado com muito carinho, pode criar problemas para a vida toda.

Veja aqui dez motivos para tratar os dentes de leite com todo o respeito.
1- Eles são fundamentais para a criança adquirir as funções de mastigação.

2- Os dentes de leite ajudam o desenvolvimento da parte óssea da face.

3- A primeira dentição contribui para a formação de uma arcada harmônica.

4- Os primeiros dentes têm um papel muito importante no desenvolvimento da fala.

5- Quando perde o dente de leite antes da hora, a criança pode ter dificuldade para articular certos fonemas.

6- A manutenção do espaço para o permanente é garantida pelo dente de leite.

7- O dente de leite orienta a erupção do permanente, para que este não nasça torto ou inclinado.

8- Infecções na primeira dentição podem afetar o germe do dente permanente.

9- A falta precoce e prolongada de um dente de leite pode causar falhas estéticas, com conseqüências psicológicas para a criança.

10- A perda precoce dos dentes de leite propicia a instalação de mal-oclusões na dentição permanente.
Mamada noturna Quanto mais cedo a mãe conseguir eliminar a mamada do meio da noite, melhor para os dentes de leite. É que ela é um prato cheio para as bactérias causadoras da cárie.
A dificuldade de fazer a higiene correta dos dentes do bebê faz com que uma maior quantidade de lactose (o açúcar do leite) fique por mais tempo fermentando na boca, produzindo um meio propício à proliferação das cáries. Além disso, a produção de saliva (que é um protetor natural contra as cáries) diminui durante a noite, facilitando a ação das bactérias.

 Vamos mastigar
Para seu filho crescer com dentes saudáveis, mastigar é preciso. Por isso, depois que o bebê sai da fase de sucção (a partir dos 6 meses), é importante dar a ele, aos poucos, sopas menos líquidas. Da papinha aos pedaços de frutas mais moles e legumes cozidos, depois pedacinhos de frutas e legumes mais resistentes, até o bifinho -com 3 anos, eles já têm de estar comendo de tudo. Alimentos que exigem mais mastigação ajudam a desenvolver os maxilares, massageiam as gengivas (um alívio quando um novo dente está para nascer) e colaboram para o posicionamento correto dos dentes. Promovem ainda uma autolimpeza da boca, ao remover resíduos de alimentos aderidos aos dentes. Na fase da dentição mista,quando os dentes de leite começam a ser trocados, esses alimentos são fundamentais para o processo de reabsorção da raiz dos dentes de leite e para estimular a erupção dos permanentes.
Refrigerantes: atenção redobrada Os refrigerantes, além de serem supercariogênicos, representam um perigo a mais para a saúde do dente: muitas dessas bebidas contêm substâncias ácidas que, com o tempo, desgastam e corroem o esmalte dos dentes. O melhor é não criar o hábito de tomar refrigerantes, não oferecendo a bebida na mamadeira aos bebês e, para os mais crescidos, restringindo seu consumo a festas e ocasiões especiais.

Cuidado com os doces Balas, chocolates, pirulitos, gomas de mascar estão no topo da lista dos alimentos que mais provocam cáries. Só que também costumam ser os campeões na preferência infantil. Não é o caso de abolir totalmente essas guloseimas, mas é muito importante controlar o consumo de modo a causar o menor dano possível aos dentes.
No capítulo doces, o perigo está ligado à freqüência e à consistência. Quanto à freqüência, é pior comer doces várias vezes ao dia do que uma só vez. Em relação à consistência, quanto mais "grudento" o doce, pior o tempo que fica aderido ao dente aumenta a chance de cáries. Assim, balas moles são piores do que balas duras.


 Higiene permanente
Bons hábitos de higiene bucal vêm do berço. Essa não é apenas mais uma frase de efeito; quer dizer que, além do bom exemplo que os pais devem dar, precisam começar a cuidar da limpeza da boca do bebê desde cedo, na fase em que ainda dorme no berço.
Até os 6, 7 meses, a limpeza costuma ser realizada com uma gaze ou uma dedeira molhada em água filtrada. Alguns dentistas aconselham limpar as gengivas do bebê após cada mamada, mesmo quando ele ainda não tem dentes.
Há outra corrente que descarta a necessidade de limpar as gengivas antes do primeiro dente, com o argumento de que as bactérias causadoras da cárie não temcomo se desenvolver antes de surgir uma superfície dura (o dente) onde possam se fixar.
Mas, assim que aparecer o primeiro dente, não bobeie: escovinha nele. Sim, é possível usar escova dental desde o início. Existe um modelo apropriado para cada fase. Nesse período, os dentistas recomendam umedecer as cerdas da escova em água filtrada na hora da limpeza.
Para fazer a escovação, coloque o bebê no colo, de costas para você, com a cabeça apoiada no seu corpo. Escove os dentinhos com delicadeza, fazendo movimentos circulares ou de vai-e-vem. No início, não se preocupe muito com a técnica dos movimentos, até você e o bebê estarem acostumados com a novidade. Com o tempo, a escovação fica um pouco mais sofisticada: por exemplo, na parte interna dos dentes a escova desliza I de cima para baixo, e sobre, a superfície mastigatória são feitos movimentos de vai-e-vem. Mas o mais importante é escovar todas as faces de cada dente. A língua também precisa ser escovada porque é uma superfície onde as bactérias aderem com certa facilidade.
O procedimento deve ser repetido após cada refeição.
Controle de qualidade
Até os 7 anos de idade, a escovação dos dentes deve ser feita, ou complementada, por um adulto porque a criança ainda não tem controle motor suficiente para escovar os dentes de forma eficaz.
O mais provável é que, bem antes dessa idade, a criança peça para escovar os dentes sozinha. O desejo deve ser atendido, porque é uma forma de estimular o hábito da escovação, mas fique combinado que a mãe ou o pai sempre dá a escovada final.
Do início da fase escolar até a puberdade, o esperado é que a criança escove os dentes sozinha e tenha incorporado o costume de fazê-lo após as refeições. Mas ainda é função dos pais supervisionar e exercer um "controle de qualidade" na escovação.Se não podem acompanhar todas as escovações do dia, os pais devem se concentrar na noturna, que é a mais importante durante o sono, diminui a salivação e a resistência às bactérias da cárie.

 A escovinha ideal
A primeira escova do bebê precisa ter cerdas extramacias, para não machucar as gengivas. A cabeça tem de ser pequena, assim alcança os dentinhos do fundo sem causar desconforto, mas o cabo deve ser longo, para que o adulto que está fazendo a escovação consiga limpar todos os dentes da criança.
Os dentistas recomendam a substituição da escova a cada dois ou três meses porque as cerdas se deformam, dificultando uma escovação eficaz. Após esse período, também é mais difícil eliminar todos os resíduos que ficam acumulados entre as cerdas.
Crie um bom escovador
Se os pais têm bons hábitos de higiene bucal, a criança vai adquirir o gosto pela coisa mais facilmente. Além disso, o hábito pode ser estimulado se a hora da escovação for um momento divertido e de descontração. Uma forma de fazer isso é contar uma boa história em que os personagens principais são a escova, a pasta e os dentes. Os vilões, é claro, são as cáries. A escova pode ser a arma superpoderosa, a única capaz de encontrar os bichinhos invisíveis que se esconderam na caverna do herói (a boca de seu filho).
A mãe ou o pai que supervisiona a escovação pode, com um olhar de raios X, ver se a escova pegou ou não cada bichinho e, com a narração dos acontecimentos, orientar a criança para a maneira correta de escovar.
O importante é que a criança associe o escovar os dentes com algo bom. a pior é fazer da hora da escova um momento de brigas e ameaças, que a criança vai relacionar com uma obrigação chata e até utilizar para fazer birras e chantagens.

 A primeira pasta
Nos primeíros anos devida, o creme dental utilizado não pode ter flúor. Como ainda não sabe cuspir nem bochechar, a criança acaba engolindo a pasta e ingerindo mais flúor do que o recomendado - em excesso,essa substância causa fluorese, distúrbio que afeta o esmalte e produz manchas nos dentes. Se você não encontrar pasta sem flúor, não se preocupe: apenas a escova, utilizada da forma correta, já é o suficiente para prevenir a ação das bactérias causadoras da cárie.
Quando a criança aprende a cuspir (o que ocorre entre 2 e 3 anos), já pode usar creme com flúor; em pequena quantidade: coloque na escova o equivalente a um grão de ervilha de creme dental. É recomendável um com menor concentração de flúor na fórmula - em geral, os produtos destinados ao público infantil têm essa característica.


Dedo e chupeta


O que o hábito pode causar

Deixar a arcada muito estreita ou muito aberta.
Favorecer a mordida cruzada.
Empurrar os incisivos superiores para frente.

Prejudicar o formato do palato (céu da boca).
Na fase dos dentes de leite, uma das preocupações dos odontopediatras e dos pais é o hábito de usar chupeta ou chupar o dedo. Esses hábitos correspondem a um instinto natural dos bebês, o da sucção, e, principalmente para os que não mamam no peito, são uma espécie de mal necessário - o bebê precisa mesmo sugar e não se deve privá-lo disso.
Porém, os movimentos de sucção realizados para chupar o dedo ou a chupeta estão longe de ser os ideais para a dentição do bebê. Diferentemente dos movimentos para sugar o peito, não favorecem de forma correta o desenvolvimento da musculatura e dos ossos faciais, prejudicando assim a deglutição, a mastigação e a fala. A freqüência, a intensidade e a duração desses hábitos podem determinar problemas ortodônticos nos dentes permanentes. É mais fácil controlar esses três fatores (freqüência, intensidade e duração) com a chupeta do que com o dedo.
A primeira pode ser retirada em momentos estratégicos (assim que o bebê adormece, por exemplo) e o dedo está, literalmente,"sempre à mão".
É mais fácil, também, tirar a chupeta na época necessária - sendo o ideal até os 2 anos, segundo os dentistas.
Mas eles também acreditam que, se o hábito for removido até os 3 ou 4 anos, eventuais problemas ortodônticos podem ser revertidos.
Como minimizar esses efeitos
* Use chupetas ortondônticas.
* Não ofereça a chupeta a todo momento nem ao menor sinal de choro do bebê.
* Não deixe a chupeta pendurada na roupa ou em correntinhas, sempre à disposição.
* Assim que a criança adormecer, retire a chupeta.
* Se o bebê chupa o dedo, tente substituir pela chupeta ortodôntica.
* Quando a criança estiver com o dedo na boca, atraia sua atenção para atividades que ocupem as mãozinhas.

 Caiu, bateu
Levar um tombo e bater o dente é bem comum na vida das crianças. Veja o que fazer nestes casos.

O dente só saiu do lugar, mas não caiuLave bem as mãos e empurre delicadamente o dentinho, colocando-o de volta no lugar. Se isso for feito na hora, não vai doer.

O dente caiu
Os dentistas recomendam que os pais façam assepsia das mãos, segurem o dente pela coroa, sem tocar na raiz, retirem resíduos lavando delicadamente, sem esfregar, e tentem recolocá-lo na mesma hora no local. Se isso não for possível, coloque o dentinho em um recipiente com leite, soro fisiológico, água-de-coco ou água filtrada e vá para o dentista. Mas atenção: se o dente for de leite, muitos especialistas são contra a tentativa de reimplante porque as chances de sucesso são pequenas e há risco lesar o germe do dente permanente.

Não foi possível recolocar o dente no lugar
Após uma avaliação, o dentista pode colocar um dente postiço para manter o espaço do dente que caiu e por razões estéticas.

O dente batido não caiu, mas a gengiva sangrou
Procure o dentista rapidamente. Nos primeiros 15 dias após o trauma, não dê alimentos duros à criança.
Observe se, após três meses, não surge uma fístula (bolinha branca com pus) em cima do dente que bateu.

Quebrou um pedacinho do dente.

Guarde o pedacinho quebrado em leite, soro fisiológico, água-de-coco ou filtrada e leve ao dentista para uma possível restauração.

O dente batido entrou na gengiva
Se o dente não entrou totalmente na gengiva, lave muito bem as mãos e tente puxar o dentinho para fora novamente. Se houve intrusão total, procure imediatamente o dentista para uma avaliação do problema.

 No dentista
As visitas obrigatórias e regulares ao dentista começam por volta dos 2 ou 3 anos de idade,quando a criança já completou a dentição de leite. Mas, atualmente, recomenda-se que a primeira consulta seja feita mais precocemente: quando o bebê está com cerca de 6 meses, época em que surgem os primeiros dentinhos.
O que pode ser feito nessa primeira visita? Basicamente, é uma consulta de orientação aos pais. O odontopediatra vai avaliar os hábitos de alimentação e higiene bucal do bebê e, se necessário, sugerir mudanças ou demonstrar na prática o que e como os pais devem fazer para cuidar dos dentes dele. Mas não é só isso. Nessa fase, é possível fazer o diagnóstico de desalinhamento dos dentes, prevenindo problemas. Também é melhor que o bebê já tenha tido contato com o dentista numa situação tranqüila se, por acaso, for preciso uma consulta de emergência, como no caso de uma fratura no dente.

Na consulta quando a criança já tem mais de 2 anos, os procedimentos e aparelhos utilizados pelo odontopediatra são praticamente os mesmos que se usam em pacientes adultos. A diferença é que esse profissional está preparado para lidar com os medos, ansiedades ou mesmo birras dos pequenos pacientes. O consultório também é equipado" com brinquedos e decorado de forma lúdica, para deixar a criança mais à vontade e envolvê-la
na aquisição de bons hábitos ou nos tratamentos.
A freqüência das consultas é dada pela avaliação que o dentista faz de cada caso. A regra é manter consultas de rotina a cada seis meses.
Mas, se a criança tem uma dieta que favorece o aparecimento de cáries, não conseguiu abandonar a mamadeira noturna ou ainda apresenta manchas esbranquiçadas nos dentes - que podem ser sinal de cárie ou de excesso de flúor, o dentista pode pedir consultas mais assíduas, a cada três meses, por exemplo.

 Tá mole!
A partir dos 6 anos, grandes mudanças vão ocorrer na boca da criança, com a substituição dos dentes de leite pelos permanentes. A primeira pode até passar despercebida: é o nascimento do primeiro molar permanente. Como esse dente não substitui nenhum de leite, nasce atrás do décimo dentinho (o segundo molar), lá no fundo da boca, é pouco visível e, às vezes, difícil de escovar. Mas é preciso atenção na higiene, porque o primeiro molar permanente é determinante para posicionar os outros dentes na arcada.
Com o aparecimento do primeiro molar, começa a troca de dentes: caem os de leite e, num intervalo de seis meses, mais ou menos, surgem os seus correspondentes permanentes. A seqüência e a idade em que ocorre a erupção de cada dente permanente podem variar (como nos dentes de leite), mas em geral seguem a ordem abaixo.
Os últimos dentes a nascer são os do siso (terceiros molares), que só vão surgir lá pelos 18 anos, completando assim a dentição permanente:16 dentes no arco inferior e 16 no superior.

Fase mista
Na fase de dentição mista, é preciso checar se o alinhamento dos dentes está ocorrendo de forma harmônica e se há boa oclusão. Se houver problemas, quanto mais cedo for iniciado o tratamento ortodôntico, melhores serão os resultados e menor a probabilidade de o tratamento exigir a extração de algum dente.